Aproveite agora!

sábado, 22 de junho de 2013

Qual motor de render escolher?


Em um renderizador com várias opções de motor de render qual a melhor para escolher? 
Bom, isso na minha opinião varia conforme o tipo de imagem, se é cena externa ou interna. A quantidade de materiais translúcidos  e a complexidade da iluminação também influenciam na decisão.
Nas minhas cenas externas,com o thea render, na maioria das vezes eu costumo utilizar o motor progressive BSD.
Porque esse motor? Nas imagens abaixo, você pode ver duas imagens que foram renderizadas com motores diferentes, estão com certo granulado porque interrompi antes a renderização pois não precisava de uma cena perfeitamente limpa para exemplificar.

Motor TR2
Na renderização com o motor TR2 que é um motor imparcial altamente fiel a realidade, você nota uma complexidade muito maior da iluminação e da reflexão.Caso continuasse com a renderização nesse motor, teria uma cena extremamente fiel a realidade. Em cenas onde exista grande quantidade de fontes luminosas, para se manter a cena o mais real possível os motores mais indicados são os AMC e o TR2. Lógicamente você terá tempos de render maiores.
Progressive BSD

Como dizia, nas externas e em algumas internas uso o progressive BSD, pois como ele não reproduz fielmente a luz, por ser um motor parcial, as cenas são renderizadas mais rapidamente. E a diferença de iluminação? Na verdade, menos de 1% da população mundial seria capaz de perceber a diferença.

Cena renderizada com motor parcial - Modelagem Michell Designer

Resumindo, em cenas com iluminação complexa em renderizadores com o kerkythea (MLT) e Thea render, (TR1 TR2 e AMC) utilize motores imparciais para a produção de cenas fiéis a realidade. Caso queira renderizações mais rápidas onde a pouca quantidade de fontes luminosas, utilize motores parciais. 

Cenas Fiéis e de alta qualidade : 
Kerkythea : MLT e outros imparciais
Thea Render : TR1, TR2 e AMC

Renderizações mais rápidas e sem granulados mais rapidamente.
Kerkythea : Os Phótons Map
Thea Render: Field Mapping, Progressive BSD, Adaptative BSD.

A regra de parcial e imparcial funciona para renderizadores como V-Ray e outros.

In a renderer with several engine options which yield the best to choose?
Well, in my opinion it vary according to the type of image, whether it is foreign or domestic scene. The amount of translucent materials and complexity of lighting also influence the decision.
In my outdoor scenes, with thea render, most of the time I usually use the BSD progressive motor.
Because this engine? In the pictures below you can see two images were rendered with different engines, with some granules are interrupted before rendering because it did not need a scene to exemplify perfectly clean.

Motor TR2


In rendering the engine is an engine that TR2 impartial highly faithful to reality, you notice a much greater complexity of lighting and reflection.

If he continued with the rendering engine that would have a scene extremely faithful to reality. In scenes where there is a lot of light sources to keep the scene as real as possible engines are the most suitable AMC and TR2. Logically you will have more time to surrender.

Progressive BSD


As I said, the external and some internal use progressive BSD, because as he faithfully reproduces the light, to be an engine part, the scenes are rendered more quickly. And the difference of lighting? In fact, less than 1% of the world population would be able to tell the difference.

Scene rendered with partial motor. In short, in scenes with complex lighting in renderers with Kerkythea (MLT) and Thea render (TR1 and TR2 AMC) engines use to produce unbiased scenes faithful to reality. If you want faster renderings where the little amount of light sources, use partial engines.

Faithful scenes and high quality:

Kerkythea: MLT and other unbiased
Thea Render: TR1, TR2 and AMC

Rendering faster and faster without granules.

Kerkythea: photons Map
Thea Render: Field Mapping, Progressive BSD, BSD Adaptive.


The rule works for partial and unbiased renderers like V-Ray and others.

Nenhum comentário:

Postar um comentário